segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Saudades da aurora da minha vida

Dizem que quando se está perto dos 40 se está na meia idade. Queremos ter nossa independência, queremos ter nossa privacidade. Queremos ter nossa casa, queremos ter nossa família, e já não somos tão parecidos com os nossos pais.

A letra da música diz: "Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais". Renato Russo dizia: "Você diz que seus pais não entendem, mas você não entende seus pais". Realmente é um conflito de gerações. Na época de nossos pais a tecnologia era menor, não tínhamos tanta competitividade. Hoje os empregadores sempre estão colocando metas, muitas vezes inalcançáveis.

Mas o que fazer diante de tanta competitividade. Hoje se compete com máquinas. Máquinas estão tirando o lugar do homem. Quem tem algum parente com renda pode ainda sobreviver. Mas quem não tem irá caminhar para a marginalidade.

Muitas vezes me pergunto, por quê o mundo é assim, tão cruel, parece que as pessoas só valem o que tem? Não foi isso que Cristo nos ensinou. Muitas vezes temos problemas em nosso próprio lar, quem dizer com os de fora?

É difícil manter a paz interior no em meio a tantas guerras diárias, e por enquanto não se vê uma solução. O que fazer então? Sair correndo desesperado? Se empanturrar de comida? Ter uma vida promíscua fazendo tudo o que lhe der na cabeça? Eu também não tenho a resposta, mas se tiver solução eu também quero uma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOME

Seguir O Blog Se você encontrar algum link sem funcionar favor nos informe: daniel.alvesb@gmail.com Nossa Página no Facebook: https://...